Nível 1 – Bebês

 

Método de ensino da natação:

 

Bebê 1 – 3 a 11 Meses 

Objetivos principais das flâmulas

Participar da primeira aula

 

 

 

Molhar a cabeça com o chuveirinho.
Primeiro mergulho na superfície e com apoio até a mãe.


  
 Bebê 2 – 1 a 2 Anos

Objetivos principais das flâmulas

Deitar de costas com ajuda.
Mergulho longe até a mãe com apoio.

 

 

Pular do degrau da piscininha com ajuda.
Pular do tapete sozinho.
Mergulho soltando.

 Perguntas mais freqüentes dos pais e acompanhantes:

1. Quais os objetivos das aulas de natação para bebês?
– Sociabilização da criança com o grupo e com outras crianças.
– Familiarização da criança com a água, início dos movimentos e braço e propulsão de pernas visando melhora do tônus muscular para auxiliar na evolução dos movimentos, sustentar-se e engatinhar.
– Estímulo da coordenação motora com os movimentos simultâneos de braços e pernas.

2. Qual a temperatura ideal da água para a aula de natação e porque não pode ser mais quente?
– 32°. Não pode ser mais quente porque a criança tem grande capacidade de produzir calor. Na aula, fazendo movimentos, sua musculatura se aquece, ocorre vaso dilatação e o sangue fica na pele. Se a água for muito quente, dificulta o resfriamento do corpo.

3. Porque nossa piscina é rasa?
– Quando os bebês ainda estão no colo, a piscininha dá uma sensação de aconchego, o apoio dos professores e pais é mais próximo ao corpo fazendo com que a criança se sinta acolhida durante toda a aula.
– Quando começam a sentar, rastejar e engatinhar, podem apoiar-se no rasinho, estimulando o equilíbrio e força dos braços e das pernas melhorando seu desenvolvimento motor.
– Quando começam a ficar em pé e caminhar, se sentem seguros, pois têm o pé no chão e o apoio da barra e dos materiais flutuantes. Sem medo e com o “controle da situação” fazem com que a água seja um aliado em sua aprendizagem.
– Quando aprendem a colocar o rosto na água, têm mais apoio para se levantar. Ao tirarem os pés do chão para a flutuação, sabem que podem colocá-lo de volta facilmente. Tendo uma aprendizagem sem medo de afundar, sentem-se seguros, pois a “água é da sua altura”.

4. Devo trazer meu filho no inverno?
– Sim, para que adquira resistência, mas tendo o cuidado de secá-lo bem após o banho e agasalha-lo antes de sair do vestiário.

5. Quando não devo trazer meu filho para as aulas?
– Quando estiver com febre, otite, algum sangramento (dente ou nariz), com pontos ou com ferimentos abertos, gripe ou doenças infecciosas (sarampo, rubéola, caxumba).

6. Por que precisa de um acompanhante na água durante toda a aula?
– Para facilitar a compreensão das atitudes do bebê durante a aula, evitando a possibilidade de qualquer desconforto.
– Para proporcionar aprendizagem individualizada em alguns momentos da aula.
– Para que os pais possam desfrutar da alegria de cada descoberta durante a aprendizagem, participando com o professor de todo o processo.

7. Em que momento da aprendizagem o acompanhante deve sair da água?
– Quando a criança já caminha sozinha, fica com o professor na água e se sente segura em todos os momentos da aula.
– Quem autoriza a saída do acompanhante da água é o professor. O acompanhante deve permanecer perto da piscina até que a criança fique segura e tranqüila para aprender.